quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Amigos

Os dois olhos se encontraram no mesmo instante, entre o olhar havia a lente do óculos, alguns centímetros de ar e mais nada, porém podia ouvir o barulho de uma chuva fina batendo na janela e escorrendo nas paredes claras lá fora. O vento soprava de forma suave e embalava as folhas do pé de canela no pátio. Os corações batiam em um só ritmo como se fossem apenas um, mas eram dois corpos, duas vidas, duas cabeças, dois sonhos e dois destinos que estavam a se olhar.
O que aconteceu no passado foi tomando força e surpreendeu os dois no presente. Eles já não se acertavam mais, já não sobrava tempo e o que tinham era uma espécie de vazio que tomava conta de suas cabeças e enalteciam a solidão, que todos sabem ser mestra em aparecer quando menos se precisa dela.
Eles tinham um desejo em comum, serem felizes. Mas a felicidade independe dos desejos. Ela está lá dentro da mente, no fundo da alma, nos gestos e palavras.. ela fica onde as pessoas não a procuram. A dificuldade era os dois entenderem que ela estava ali presente neles e não no mundo exterior como ela desejava tanto, estava transformando a possibilidade de se amarem em algo impossivel.
Eles choraram, choraram por dentro... rasgaram dentro de suas cabeças os papéis e cartões com as dedicatórias cheias de amor que nas datas importantes trocaram... eles lembraram somente daquilo que eles não tinham e quando os olhos estavam frente a frente só o que eles viram foi a falta de brilho.E tudo acabou.
Eles fecharam o olhos e decidiram que não dava mais. Continuar procurando não os faria serem felizes juntos... o tempo precisava agir. E a despedida foi necessária.
Porém os corpos se despediram... as almas não.
Eles se veêm... eles se falam... mas aquele brilho... aquela felicidade que eles buscavam um no outro... ambos descobriram que estava dentro deles. Isso está fortalecendo os dois... eles encontram mais tempo para conversar... eles conversam mais... eles implicam menos... eles agora voltaram a ser amigos acima de tudo... eles encontraram um ideal maior que o de "se acertarem"... eles querem se conhecer...
Ele sente que não está preparado para algumas coisas e então pensa... analiza... a observa de longe e a vê e tem se orgulhado dela, ela é uma mulher forte.
Ela sente que precisava ficar sozinha para se entender, se conhecer... analiza... sente saudade.... observa ele de longe e o vê tal como ele é e se orgulha de não ter se enganado... ele é um homem bom.
Os dois vivem separados agora. Mas suas almas agora estão mais juntas que nunca.
Eles... estão contruindo uma amizade.
E amizade verdadeira... ninguém separa. Mesmo que os olhos não se encontrem mais.


Chorei!  =,{
Dedicado para o maldito dos olhos verdes.
Meu melhor amigo para sempre!

Josi s2

2 comentários:

Anônimo disse...

Lindo minha maldita.........

Lander disse...

adorei o texto. muito bom mesmo josi.

você escreve bem pra caramba :)

beijos