terça-feira, 1 de junho de 2010

In -- san -- idade

Alguém viu o filme Matrix? Aquelas telas se movimentando com um monte de letrinhas se mexendo e ideias fluindo em velocidade luz? E no filme Mentes Brilhantes? Ideias que nascem e não morrem, que ficam atormentando até que saiam do plano e se tornem reais? Quase insanidade. Coisa de filme mesmo.

Estou assim. Não, não to vendo filme, nem produzindo um.
Estou me sentindo protagonista desses filmes. É isso. A menina que vê letras flutuantes quando pensa.
É eu tô respirando projetos, lendo e observando muita gente que faz o mesmo, falando com gente que faz, que argumenta que opina e que acontece.
As letrinhas se movimentam na minha frente e formam grandes teias, cada ramificação me leva junto a alguem, me joga de um canto à outro e me mostra caminhos que não trilhei, eu então vou os seguindo até que lá no fim, caio em um funil fininho e a ideia vai pro papel, quase sempre com erros ortográficos e caligrafia ruim, e ultimamente com a ajuda de terceiros.
Começo a ler a ideia ali na minha frente com cheiro de papel e ela vai se transformando denovo... mais pessoas entram, outras saem e os prazos vão determinando inicio, meio e fim.
Ai acontece o que eu desejava. A ideia vira uma massa, inicialmente cinzenda e asqueroza... e vai ganhando uma forma... várias cores. Cada pessoa que escreve o nome no papel é uma cor. E cada pessoa ganha um sentido, é uma letrinha nova que fica pairando no ar. Tudo se junta e ai acontece a tal ação.

Complicado de entender né? Mas é assim, com essa mentalidade um tanto insana que eu convivo diariamente, com a necessidade de transformar cada momento em algo palpável que eu deixo as horas passarem e é por isso que umas pessoas me acham louca, outras dizem que não existo e outras (as mais acomodadas vale dar ressalva) simplismente fazem cara feia e contrariam as ideias por medo de acabarem participando delas.
E eu com isso né?... pois bem... vocês  é que acabam recebendo esse pedaço de mim que poderia morrer comigo. Porque sentimentos não entram nos projetos, eles ficam lá nas teias e são consumidos por palavras bonitas, por sinônimos e quase sempre os sentimentos de quem tem a ideia não são importantes para quem as apoia ou a organiza no papel. O sentimento é algo não paupável, irreconhecível. A lágrima que cai quando uma criança me para e diz que passou adiante o que eu falei em uma ação, essa lágrima... ela não vai pro projeto, ele fica comigo. Mas aqui no blog eu divido essa lágrima de alegria com vocês e mais que isso... quero dividir a ideia mais legal que eu tive até hoje e que não vai pro papel... vale a pena fazer algo pelo bem de alguém é só começar.
Bom... eu sei lidar comigo e estou aprendendo a controlar o que meu amigo Silvestre chama de "expansividade". É me conhecendo e traçando uns rascunhos lá e aqui que vou transformando letrinhas suspensas em amizades, amizades em parcerias e parcerias em sonhos.
Sonhos... ah os sonhos!
Sonhos em realidade, ação.

7 comentários:

Juliano Mendes disse...

Eu sempre venho aqui, é uma porta com alguém que sente o que escreve, é aqui que eu procuro me inspirar todo dia, e todo dia este blog me surpreende.
Tu escreve o que sente, o que pensa sem ironias, sem cuidados, sem procurar palavras.. simplismente escreve. E é isso que te faz ser tão humana,tão verdadeira, tão tão tu.
Parabéns pelo blog.
Pela simplicidade.
Abraço.

Joelson disse...

Agora mandei duas vez...

Ué!

Joelson disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Joelson disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Joelson disse...

Bom,

Como já havia digitado antes (devo ter excluído antes de publicar, dã), no filme Matrix Neo tem que escolher entre a pílula vermelha e a Azul...

Assim como Neo, você escolheu a vermelha e agora anda pela toca do coelho com toda a espectativa para saber onde vai chegar...

Optei pela mesma pílula, tempos atrás e agora lhe encontrei nesta empolgante toca. Onda vai dar? Bem, essa pergunta nos nos pertence, assim com a realidade concreta não se doava ao protagonista do filme Uma mente brilhante.
Mas como bons discípulos de Jedi (vide Star Wars), que nos propormos ser, devemos crer e sem medir esforços buscar a sabedoria da Força. Mas não esqueça: "o medo, caminho pro lado Negro da Força, é".

Belo Post,
(quase fiz um outro aqui no comentário - hauhaua)

Bjão

... disse...

E eu acabei apagando o duplicado e apaguei tudo.
Eu sou uma topeira!!!
Caraca o comentário mega ultra bom que faria toda diferença neste post e eu apaguei?
topeira mil vezes topeira.
Putz perdão!

Glenda disse...

Guria...
Teu texto é supimpa!