quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O zé do elevador

-Bom dia que andar?

Eu olhei de cabo a rabo, não acreditei na visão matinal que me fazia chorar de rir, anda não tinha a mínima ideia se tinha entrado no prédio certo, e depois de escutar a voz daquele senhor tudo piorou.
Será que errei de endereço? Estou dentro de um elevador ou no estúdio da Escolinha do Professor Raimundo? Não creio no que ouço, pior não creio no que vejo.
De camisa amarela de botão e listras azuis, uma calça um tanto a lá "era dos dinossauros", sapatinho brilhando, rosto amassado pelo tempo, cabelinho brilhando de gel e aquela voz... ah aquela voz que só o Zé bonitinho tem. Coisa de televisão.

-Quinto andar senhor, hã... é edificio 91, Uruguai?
-É sim.

Menos mal, não tô no lugar errado.

-Quinto andar, por favor, qual seu nome?
-José, Zé como sou conhecido.

Pronto! Desandei a rir, ele é o próprio zé bonitinho. Figurino e voz igual, mas o nome era demais pra mim.

-Tudo bem contigo moça?
-An.. sim. Tudo bem... (com certa vergonha por ele ter percebido meu risinho maroto pelo espelho)

Bom assim fui apresentada ao Seu Zé. Um cara bacana, gente fina e provavelmente o cara que mais chama atenção aqui no edifício. Do alto dos seus 80 anos ele é sem dúvida a alma do personagem da Tv.

Dia destes li uma estatística na revista ciência, onde dizia que no mundo existem no mínimo uma pessoa igual a você (igual na aparência). Ainda não achei alguém igual a mim andando por ai (sorte deste alguém... deve estar no caribe tomando drinques e usando cartões de crédito). Mas que existe alguém igual ao seu zé existe! E que figura esta!

2 comentários:

Jéssy* disse...

Confesso que queria, e adoraria pexar com Zé bonitinho versão 2
hehehehe
**
Bjoo meuuo

Silvestre Silva Santos disse...

Fiquei com peninha do Zé... Não é correto ficar rindo das pessoas, na cara das pessoas...