quarta-feira, 29 de abril de 2009

Sobre bigodes e mãos no bolso.

Sem pensar muito me diga quando foi a última vez que você viu uma pessoa caminhando de mãos no bolso pela rua?.......Difícil né?!?!
Comentei sobre isso há uns dias atrás, causou uns risos e passou batido...Mas juro que fiquei pensando nisso, e de pensar observei, e de observar concluí. Concluí que são raras as pessoas que ainda cultivam esse hábito, que na sua maioria são senhores já com uma certa idade, e mais, conclui que eu o cultivo, não que eu seja uma pessoa rara, tampouco um senhor com certa idade; embora esteja num ponto da vida que não saiba bem se continuo com meu allstar, que questiono algumas atitudes, que começo a usar óculos, enfim, uma fase de suposta transição, ainda to longe de ser um senhor de certa idade, mas desconfio os motivos que me façam perambular por ai de mãos no bolso. ..vamos a eles:
Como dito há pouco, nas minhas observações notei que eram senhores de mais idade que mantinham vivo esse hábito, logo percebi que era um hábito antigo que foi se perdendo com o tempo, onde exatamente isso ocorreu ou de que forma não consegui descobrir mas um fato que ajuda os jovens a não andarem mais com a mão nos bolsos são as calças jeans. È que as tais calças de hoje têm bolso no joelho, no meio da coxa, na bunda, bolso lá em baixo e em tudo mais, mas os que ficam ali, no lugar clássico, no lugar de sempre já são quase que ultrapassadas, e para as meninas essas calças têm os bolsos tão pequenos e justos que mal cabem umas moedas imaginem suas pequenas mãozinhas delicadas. E pelo fato de eu não usar calças femininas, nem calças com zilhões de bolsos em lugares estranhos e preferir os bolsos nos lugares normais acho esse um dos motivos que me ajudam a não perder esse hábito.
Outro motivo também é que não tenho medo de admitir que tenho sim alguns hábitos dos ditos ‘velhos’, não raro ouço alguma boca cretina proferindo a sentença: “- Mas tu parece um velho fazendo isso!” ou ainda “- Tá louco, isso é coisa de velho!”...E sabe, nem me incomodo, faço por que gosto e pronto.
Mais um fato relevante que mereceu minha atenção foi o de que os poucos ‘jovens ‘ que vi de mão no bolso andavam sem pressa - fato esse que chama mais atenção do alguém de mão no bolso em tempos que todos têm pressa o tempo inteiro mas ninguém sabe do que se tem pressa (isso também dá um belo texto)- como se estivessem apenas admirando uma paisagem, um pássaro, uma nuvem ou belo par de pernas; como se estivessem refletindo, pensando ou observando pessoas de mãos no bolso. E isso...bom, isso tudo eu faço.
E por fim, uma pessoa de mão no bolso passa a impressão de alguém acanhado, introspectivo que não gosta ou não precisa chamar a atenção dos outros transeuntes, e como hoje em dia o que conta é chamar a atenção do maior número de pessoas possíveis sob pena de quase entrar em depressão se isso não acontecer mãos no bolso para muitos está fora de cogitação.
Junto com as mãos nos bolsos outro hábito que está se perdendo é o cultivo dos bigodes. Quem já não comentou com outra pessoa qualquer coisa a respeito de um bigode qualquer que seja, de alguém comendo sopa, de uma foto antiga ou até mesmo do icônico bigode do Olívio Dutra. Hábito este também cultivado por senhores de mais idade por que, ao contrário do meu primo Lauriano, não conheço outra pessoa com menos de 30 que mantenha um bigode sobre os lábios...e agora lembrando da imagem do Lauriano de bigode e do estranhamento que essa imagem me causa acho que sei por que tantos jovens o estão abolindo.

¬¬
Texto cuja autoria é do... Xuxu!

Um comentário:

Tatiane disse...

Ah não Xu (como te chama a Josi) bigode é demais, a mão no bolso é legal, mas o bigode!!! eca!!!
quantas bactérias atrás daquele monte de pelos na cara!!!!
hahaha